Pular para o conteúdo principal

Público e Renda: Campeonato Brasileiro Série A - Rodada 7 e 8



Pela segunda semana seguida tivemos jogos pelo Campeonato Brasileiro no meio e no final da semana. Ainda teremos mais uma semana com dois jogos. Os jogos no meio de semana estão puxando a média de público para baixo. Caso houvessem menos jogos do Brasileirão às quartas e quintas feiras, provavelmente a média de público e renda seria maior.

Das oito rodadas disputadas, as duas que foram jogadas no meio de semana tiveram as piores médias de público com 13,1 mil e 12,6 mil respectivamente.

Os jogos no meio de semana deveriam ser priorizados com as Copas, pois são jogos com maior atrativo para serem disputadas no meio da semana devido à fórmula de disputa, que gera incertezas maiores nos resultados do que em jogos de Campeonato Brasileiro.

Na rodada 7 o destaque mais uma vez foi o Corinthians, com a maior presença de público (30,4 mil), maior renda (R$ 1,462 milhões), taxa de ocupação (68%) e também para o Coxa, com a segunda melhor presença de público (19,5 mil), provavelmente por ter jogado às 16h no feriado de Copus Christi. 

O Flamengo inaugurou a Arena do Urubu e conseguiu o melhor ticket médio da rodada (R$ 61,82), mas a taxa de ocupação foi de 64%. Vamos observar se a diretoria vai priorizar arrecadação ou taxa de ocupação.

A rodada 8 teve a maior média de público do campeonato com 18.381 pagantes, mas com taxa de ocupação mais baixa (36%) e ticket médio (R$ 23,34). Muito bom que essa média foi obtida mesmo com Corinthians e Palmeiras como visitantes.

Os dois times de São Paulo foram responsáveis pela segunda e terceira melhores públicos, rendas, taxas de ocupação e tickets médios da rodada. Bahia e Coritiba tiveram seus melhores públicos, arrecadação, ticket médio e taxa de ocupação como mandantes nos jogos contra Palmeiras e Corinthians respectivamente.

FlaFlu foi o melhor público (34,5 mil), renda (R$ 1,496 milhões) e ticket médio (R$ 43,36). A Chapecoense foi a melhor taxa de ocupação, com 74%. Além disso o Santos obteve sua melhor presença de público no campeonato com quase 20 mil pagantes, renda (R$ 513 mil), taxa de ocupação (53%), mesmo com o torcedor pagando mais caro pelo ingresso (R$ 25,68). Mais um sinal que jogar no Pacaembu está sendo mais vantajoso dentro e fora de campo para o time da baixada santista.

 Pela quinta rodada de final de semana consecutiva a média de público continua crescendo e, como mencionado anteriormente, mesmo com os campeões de público e renda jogando como visitantes.

Após a R8 o Campeonato Brasileiro de 2017 aumentou a média de público pagante (15.068/jogo), se consolidando como a melhor média dos últimos quatro anos, além de se manter como a melhor média em renda bruta (527 mil), taxa de ocupação (40%) e ticket médio (R$ 28,04) dos últimos 4 anos.

Na próxima rodada Corinthians e Palmeiras jogarão como mandantes, podendo impactar positivamente na média de público e renda, pois o Corinthians continua em primeiro lugar e o Palmeiras vem de uma boa vitória como visitante.

Outro fator que deve impactar positivamente é o Grêmio, que vem de uma ótima campanha, e vai jogar como mandante contra os primeiros colocados. Está na hora da torcida tricolor gaúcha comparecer em maior número do que os jogos anteriores.

No próximo post sobre o tema, quando se completará 25% do campeonato, pretendo publicar a primeira análise consolidada dos campões de publico e renda, além dos melhores e piores horários em termos de comparecimento do torcedor aos jogos.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Dono e os Chefs

Após sete mudanças de treinadores em apenas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro da Série A, vários colunistas estão criticando o que já é recorrente na gestão do clubes brasileiros, a troca de treinadores por maus resultados ou expectativas não alcançadas.
Para tentar ilustrar de uma forma mais lúdica as consequências deste comportamento inaceitável dos gestores esportivos, convido o leitor a ler a seguinte historia:
O Dono e os Chefs
Uma churrascaria acaba de trocar de dono no início de dezembro e, como o negócio não ia bem, o dono resolveu trocar de churrasqueiro, pois os clientes estavam reclamando da qualidade da comida, tanto que as vendas estavam baixas recentemente.
O novo mestre churrasqueiro, juntamente com o dono, estavam com várias ideias e decidiram aumentar a variedade de carnes no cardápio. No começo do ano a curiosidade dos clientes fez com que aumentassem as vendas mas,  após 3 meses, os clientes já perceberam que a qualidade e a expectativa com o novo churrasqueiro fi…

Os fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores parte 2 : Precificação

Na semana passada iniciei uma série de posts referentes aos fatores que impactam na percepção de valor dos torcedores. O próximo fator que gostaria de compartilhar com vocês é a precificação dos ingressos.
Como ponto de partida dessa análise, vamos avaliar o comportamento do torcedor do São Paulo em alguns jogos no Morumbi:
23/03/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 1 x 0 Botafogo de Ribeirão Preto Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 3.118 Renda Bruta: R$ 123.026 Ticket Médio: R$ 39,49
06/07/2016 – Copa Libertadores da América São Paulo 1 x 2 Atlético Nacional (semi final) Dia da semana: quarta feira Horário: 21:45h Público Pagante: 61.766 Renda Bruta: R$ 7.526.480 Ticket Médio: R$ 121,85
22/10/2016 – Campeonato Brasileiro São Paulo 2 x 0 Ponte Preta Dia da semana: sábado Horário: 17:00h Público Pagante: 49.673 Renda Bruta: R$ 600.541 Ticket Médio: R$ 12,09
12/02/2016 – Campeonato Paulista São Paulo 5 x 2 Ponte Preta Dia da semana: domingo Horário: 17:00h Público Pagante: 50.952 Renda Br…

Os Alienistas

Tudo começou em 1995, na final da Supercopa São Paulo de Juniores. Após o gol de ouro que deu o título ao Palmeiras, os palmeirenses invadiram o gramado para comemorar e foram provocar os são paulinos, que, aproveitando a pouca presença de policiais, invadiram o gramado, transformando o campo de jogo na primeira batalha campal entre torcidas organizadas transmitidas ao vivo pela TV. 
As consequências foram a morte do garoto Márcio Gasparin, a condenação de Adalberto Benedito do Santos e, pela primeira vez, as organizadas Mancha Verde e Independente foram extintas pelo promotor público Fernando Capez, que comentou na época: “Era necessário um tratamento de choque.”
Como na belíssima obra O Alienista, de Machado de Assis, a partir dessa época começou a batalha dos Alienistas contra a festa popular nas arquibancadas do Brasil. Depois dessa medida, as bandeiras, instrumentos, faixas, papéis picados, rojões, fogos de artifício, sinalizadores foram proibidos, além de não poder vender cerveja.…